Compartilhar
Publique nesta revista
Informação da revista
Vol. 83. Núm. 2.Março - Abril 2017Páginas 119-240
Compartilhar
Compartilhar
Baixar PDF
Mais opções do artigo
Visitas
1886
Vol. 83. Núm. 2.Março - Abril 2017Páginas 119-240
Carta ao editor
DOI: 10.1016/j.bjorlp.2016.08.001
Hearing loss in congenital Zika virus
Perda auditiva na infecção congênita por Zika vírus
Visitas
1886
Viroj Wiwanitkit
Surindra Rajabhat University, Institute of Natural Medicine Science Development and Establishment Project, Suvannhabhumi Clinical Training, Research and Development Center, Surin, Tailândia
Este item recebeu
1886
Visitas
Informação do artigo
Texto Completo
Bibliografia
Baixar PDF
Estatísticas
Cara Editora,
Texto Completo

O recente artigo sobre perda auditiva na infecção congênita por zika vírus’ é muito interessante.1 Leal et al. relataram um caso curioso de perda auditiva neurossensorial em um caso de infecção congênita pelo zika vírus.1 Na verdade, não há dúvidas de que o zika vírus pode induzir efeitos teratogênicos e a o principal acometimento é sobre o sistema neurológico fetal. No entanto, o mito é o mecanismo exato subjacente à perda de audição no presente caso. Na verdade, acredita‐se que a invasão viral direta seja a patogenia principal do defeito neurológico na infecção congênita por zika vírus.2 No presente relato, a preocupação é com o envolvimento cerebral não fatal, mas com defeito no sistema neuroauditivo. Geralmente, o comprometimento cerebral na infecção congênita por zika vírus está no córtex3 e não é comum no tronco cerebral; portanto, raramente envolve o sistema neuroauditivo. Na verdade, existem muitas infecções virais que podem resultar em perda auditiva neurossensorial congênita, como a infecção pelo citomegalovírus (CMV).3 Existem muitas explicações possíveis para o presente caso. Como não há evidência clara de quando a mãe adquiriu a infecção, a infecção intrauterina pelo zika vírus pode ter ocorrido após o desenvolvimento do cérebro. Também pode ter havido infecção concomitante anterior silenciosa, que poderia já ter envolvido o sistema auditivo e induzido à perda auditiva neurossensorial (como a infecção por CMV, que pode ficar em silêncio na gestante).4

Conflitos de interesse

O autor declara não haver conflitos de interesse.

Referências
[1]
M.C. Leal,L.F. Muniz,S.D. Caldas Neto,V. van der Linden,R.C. Ramos
Sensorineural hearing loss in a case of congenital Zika virus
Braz J Otorhinolaryngol, (2016), http://dx.doi.org/10.1016/j.bjorl.2016.06.001
pii: S1808‐8694(16)30127‐6
[2]
V. Wiwanitkit
Placenta, Zika virus infection and fetal brain abnormality
Am J Reprod Immunol, 76 (2016), pp. 97-98 http://dx.doi.org/10.1111/aji.12521
[3]
J. Mlakar,M. Korva,N. Tul,M. Popović,M. Poljšak-Prijatelj,J. Mraz
Zika virus associated with microcephaly
N Engl J Med, 374 (2016), pp. 951-958 http://dx.doi.org/10.1056/NEJMoa1600651
[4]
M. Calvani Jr.
Asymptomatic congenital cytomegalovirus infection
Minerva Pediatr, 43 (1991), pp. 595-600

Como citar este artigo: Wiwanitkit V. Hearing loss in congenital Zika virus. Braz J Otorhinolaryngol. 2017;83:239.

Copyright © 2016. Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial
Idiomas
Brazilian Journal of Otorhinolaryngology

Inscreva-se a Newsletter

Opções de artigo
Ferramentas
Política de cookies
Utilizamos cookies próprios e de terceiros para melhorar nossos serviços e mostrar publicidade relacionada às suas preferências, analisando seus hábitos de navegação. Se continuar a navegar, consideramos que aceita o seu uso. Você pode alterar a configuração ou obter mais informações aquí.